agora quero vestir a noite de festa
e dar-lhe o brilho molhado da lua
abraçar o tecido negro e sedoso da sua pele
e menear as ancas ao som do piscar das estrelas
só depois seguirei o trilho claro dos teus olhos
e deixar que me embales na tipoia da tua alma

2 comentários:

Isabel Preto disse...

Muito bonito, como sempre! Aprecio muito este teu cantinho repleto de poesia.
Beijinhos

Adolfo Payés disse...

Precioso.. cuando me detengo en tu blog.. haces que el día se maravilloso.. Un poema Excelente.

Un beso


Un abrazo
Saludos fraternos.